blog18

Como uma mulher deve se comportar em momentos de assédio sexual no trabalho?

Por: Ramy Arany

Este assunto é muito sério e muito antigo. Desde que o mundo é mundo que o assédio sexual principalmente de homens para com as mulheres existe. Hoje ele se apresenta até de forma tão comum que em muitos casos nem é considerado mais um assédio. Isto é tão sério que até legalmente já é difícil ser provado o assédio, ou de uma mulher brigar dentro de uma empresa e provar que se encontra sendo assediada e ser defendida em seus direitos. A tendência mais comum é a mulher deixar o emprego para se ver livre desta situação.

Tudo isto, contudo, é muito pessoal e de difícil qualificação de reações perante uma situação tão desagradável. Ainda há a questão de se achar que as mulheres gostam de ser assediadas e de que são tendentes a aceitarem por várias questões da individualidade de cada uma. Há muitos tipos de assédios sexuais desde uma simples sedução, até comportamento agressivo É interessante esta situação, pois existem crenças que levam os homens a pensarem e agirem desta forma, pois do contrário certamente não se atreveriam. Isto nos leva a pensar que de alguma forma o assédio pode “dar certo” em algumas situações, com algum tipo de individualidade feminina, ou de desejos e interesses ocultos. Porém isto já é tema para outro artigo.

This is image post

Como uma mulher deve se comportar em momentos de assédio sexual no trabalho?

Há muitos tipos de assédios sexuais desde uma simples sedução, que já não é simples, pois é por ai que a “coisa” começa a crescer, até um comportamento agressivo, impositivo e perseguidor. Seja qual for o caso, desde que seja algo que incomode ou até que imponha uma situação constrangedora para a “vítima”, penso que em primeiro lugar a mulher deve ser:
- verdadeira consigo mesma, ter clareza de que realmente não quer isto para si.
- havendo esta clareza esta, também, deve ser falada assim desta forma para a pessoa que esta cometendo o assédio, para em primeiro momento tentar demovê-lo de suas intenções.
- fale quantas vezes for necessário sobre sua posição em relação a esta insistência.
- não se intimide com a situação e conte para os parentes e amigos mais próximos.
- peça ajuda àqueles que possam, ou que tenham poder para ajudar dentro do próprio trabalho.
- quando isto não for possível, pois muitas vezes quem está assediando é o próprio presidente, dono da empresa, ou a pessoa mais importante ou responsável, pense na possibilidade de mudar de emprego caso não haja outra saída.

Hoje em empresas sérias e éticas a tendência é levar o caso a sério e se aplicar a lei, pois o assédio é uma questão legal, no sentido de afastamento da empresa da pessoa que se encontra assediando. Porém, infelizmente há situações que são mais difíceis realmente cabendo à mulher a decisão de sua vida profissional e pessoal. Seja qual for a decisão a mulher, ela precisa se sentir protegida, livre e desimpedida para tomar sua decisão.