blog7

Mulheres gordinhas

Por: Ramy Arany

Como conviver com a pressão do padrão estético?

A pressão do padrão estético não atinge somente mulheres gordinhas, mas todas que por alguma razão não se encontram dentro desta determinação estética. Isto significa que a mulher pode estar simplesmente um pouco além do peso “ideal” que ela já é alvo de pressão, e de brincadeiras de mau gosto entre familiares, incluindo maridos, namorados, amigos e companheiros de trabalho.

O padrão estético é uma questão de época e de tendência (moda); porém, também é cultural e muda de cultura para cultura sendo também regional. No Brasil é culturala mulher é influenciável por uma questão de baixa autoestima e baixa autoimagem o padrão estético do “mulherão” de corpo “bem feito”, curvas, quadris mais largos, seios e “bumbum” bem feitos, abdome de academia, pernas bem torneadas, em fim, aquela mulher que chama a atenção pelo “corpão” sem, contudo ser “gordinha”. No oriente médio, por exemplo, o padrão estético cultural é da mulher tendente à gorda, de corpo cheio, volumoso, seios fartos (sem silicone, claro!) aquela mulher que tem o que se “pegar”.

A mulher é alvo de pressão contínua vinda de todos os lados, pois existe uma cobrança crítica velada e uma indução muito bem conduzida, para que a mulher busque todos os recursos possíveis para atender este padrão estético. Isto inclui regimes espetaculares, sopas milagrosas que emagrecem rapidamente, exercícios físicos agressivos para dar resultados rápidos, tratamentos estéticos invasivos, cirurgias plásticas, roupas íntimas que prometem esconder o que está sobrando, dentre outros.

This is image post

Mulheres gordinhas

Penso que a mulher é influenciável por uma questão de baixa autoestima e baixa autoimagem que faz com que a mulher não se reconheça verdadeiramente, não se aceite como é e busque a ilusão que é vendida e produzida pela indústria da estética. A mulher se cobra estar sempre bonita e, também, há a questão do envelhecimento, que no caso feminino parece que a sociedade imprime uma idéia de que a mulher não pode envelhecer com naturalidade tendo que buscar o rejuvenescimento de forma também obsessiva.

A mulher necessita estar bem consigo mesma, não importando se está ou não de acordo com as expectativas do padrão ideal de estética. É preciso pensar para quem a mulher necessita se mostrar: se é para si mesma ou se é para chamar a atenção do outro. Cada mulher possui uma individualidade que a caracteriza como ser e é isto que a mulher necessita valorizar, aquilo que realmente ela é na sua essência. Do que adianta ter um corpo perfeito e uma consciência superficial, voltada somente à beleza supérflua? Do que adianta ser “bonitona” por fora e ter uma mente vazia?

Mulher gordinha está na hora de você se valorizar e de se reconhecer, sendo verdadeiramente feliz consigo mesma e não dando importância à pressão vazia do padrão estético!