blog7

Mulheres que gostam de desafios

Por: Ramy Arany

Dentro de meu trabalho junto às mulheres, observo que existem alguns tipos de “comportamento feminino” que basicamente se dividem entre: as mulheres mais ativas e as mais passivas, no sentido do modo como conduzem suas vidas, os próprios desafios, o que buscam como meio de evolução, ou seja, o modo como se relacionam com a existência de uma forma geral. As mulheres que gostam de desafios são aquelas que manifestam mais a força ativa, a força que chamo “parideira”; são aquelas que mostram mais seus potenciais, colocam a força interna para fora, manifestando-a em todas suas ações fazendo literalmente as coisas acontecerem.

Não há o que as mulheres queiram que não consigam alcançar, pois esta força gestadora é força de construção. Desta forma, penso que as mulheres que gostam de desafios são mulheres guerreiras, fortes, mulheres que gostam de ver as dificuldades de frente e resolvê-las, mesmo que isto seja difícil ou lhes causem algum tipo de problema, ou de desafio.

This is image post

Mulheres que gostam de desafios

Penso que os desafios para estas mulheres guerreiras vêm como força precipitadora, força de ignição para que possam sustentar a motivação e isto gerar impulsos positivos para suas vidas. São mulheres que geralmentemulheres guerreiras vêm como força precipitadora estão à frente de trabalhos; de pessoas; de projetos; são mulheres líderes; são mulheres firmes; decididas e sabem melhor o que querem. São também mais focadas e sustentadoras de seus ideais e de suas ações. São confiáveis e mais estáveis e por serem guerreiras são, também, uma força desafiadora por si mesmas, principalmente para os que com elas convivem.

Porém, deixo uma observação para você mulher guerreira e desafiadora que é “não superestimar sua capacidade de lidar com os desafios e querê-los sempre como força motivadora, pois isto pode levar a uma situação de esgotamento físico, mental, energético e emocional”. Lembre-se de que ser guerreira não é agir na defensiva ou estar sempre em alerta de guerra. É ser parideira e colocar para fora seu potencial e realmente parar de somente pensar e sim, ir para a manifestação do que você quer para si mesma.