blog18

Ser mãe aos quarenta

Por: Ramy Arany

Antigamente as mulheres tinham filhos muito cedo. A maioria era praticamente adolescente quando se tornava mãe o que também nos traz a idéia de que eram crianças cuidando de crianças. As de famílias abastadas podiam contar com as amas que muitas vezes passava de mãe para filho, porém as de classe menos favorecidas contavam consigo mesmas e com a ajuda de familiares, principalmente das mães e das avós.

Porém, na atualidade a tendência é a mulher ter filhos com mais idade, de onde saiu o tema deste artigo: mãe aos quarenta. Parece que quarenta anos é uma idade importante para a mulher, como se fosse o marco de um novo ciclo para várias situações, inclusive para a maternidade. É comum ouvirmos as mulheres falarem: “eu só quero engravidar quando chegar aos quarenta e olhe lá!”

Algumas questões importantes são partes desta condição que tem crescido cada vez mais. Uma delas, penso que seja a mais forte de todas, é a questão da mulher da atualidade pensar mais em si mesma, nos estudos, numa carreira profissional, em seu desenvolvimento pessoal, numa estabilidade financeira, emocional, sentimental e também numa condição interna de amadurecimento, que lhe dê condições de ser mãe e ao mesmo tempo se sentir confortável e realizada.

Outra questão é que a mulher aos quarenta já superou algumas ilusões amorosas, como por exemplo, Outra questão vem da dificuldade da mulher engravidar através do processo natural encontrar um companheiro ideal para ser o pai de seu filho. Nesta idade a mulher já é bem mais “pé no chão” e aceita relacionamentos menos ideais no sentido do “príncipe encantado” ou da “alma gêmea”.

Outra questão vem da dificuldade da mulher engravidar através do processo natural e tentar engravidar até chegar aos quarenta, como se fosse uma idade limite. Algumas conseguem, outras, no entanto, partem para uma gravidez assistida através dos vários métodos que a medicina tem disponibilizado à mulher, dependendo de sua individualidade e grau de dificuldade em relação a sua natureza biológica.

This is image post

Ser mãe aos quarenta

De qualquer forma, quarenta anos não deixa de ser uma idade limite para quem quer engravidar, pois quanto mais idade tiver a mulher, maiores serão os riscos assumidos. Biologicamente, os óvulos também vão envelhecendo aumentando a tendência de riscos durante a gestação bem como no parto.

Em relação à maturidade da mulher-mãe aos quarenta a tendência é que seja mais sustentada pelos anos de experiências vividas. Contudo, isto também é muito pessoal, pois há mulheres bem jovens que possuem uma maior maturidade se comparada a uma de quarenta. Porém, a tendência é ter mais paciência, profundidade, qualidade e consciência da gestação aos quarenta; em contrapartida o corpo físico também já é mais desgastado aos quarenta, o que traz, também, um maior cansaço, pois há menos resistência física para passar os nove meses de gestação e ainda acompanhar todo o crescimento do bebê após o parto.

Fica difícil estabelecer comparações entre as gestações de mulheres mais novas com as mais velhas, pois ambos os casos nos mostram prós e contras. Penso que o importante é engravidar quando se reconhece que é o momento correto, independente da idade. Mesmo que a gravidez lhe pegue de surpresa e você seja uma das mães aos quarenta ou mais, lembre-se de que a idade não importa quando existe a permissão interna para ser mãe.

Penso que ser mãe não é somente engravidar e ter o bebê, mas sim uma consciência que se constrói junto com o desenvolvimento do filho, pois somente nasce uma mãe quando nasce um filho. Desta forma, nenhuma mulher é obrigada a saber ou ser mãe antes de ter o filho, mas, sim, aprender com ele o que é ser mãe. Por isto a relação entre a mãe e o filho é um elo muito sagrado e muito forte e isto independe de idade e sim de maturidade, entrega e amor verdadeiros.