Entrevistas

Mães superprotetoras podem prejudicar os filhos?

Por: Ramy Arany

A maioria das mães tende a ter um comportamento muito carinhoso com os filhos e este carinho acaba também se desdobrando em uma superproteção. “Se elas pudessem, evitariam que seus filhos fossem atingidos por problemas e dificuldades que vão resultar em sofrimento e tristeza tanto para eles mesmos, quanto para as próprias mães”, explica a terapeuta comportamental RAMY ARANY, diretora do Instituto KVT Feminino.


ISSO FAZ MAL?

O excesso proteção contribui para que os filhos desenvolvam comportamentos e atitudes que, segundo a terapeuta, “geram problemas para si mesmos e para as pessoas que com eles convivem ao longo de toda a existência, principalmente pela interferência contínua das mães nas decisões e escolhas dos filhos sempre na justificativa ‘em nome do amor’”.

This is image post

Mães superprotetoras podem prejudicar os filhos?


INFÂNCIA

“As crianças ficam mimadas e não admitem serem tratadas de um jeito diferente sem que reajam de forma insegura, agressiva e muitas vezes histérica. Neste caso, O PEQUENO TAMBÉM DESENVOLVE UM COMPORTAMENTO EXTREMAMENTE DEPENDENTE DA MÃE e, mostra isto através das inúmeras solicitações que faz da presença materna esperando que ela resolva e decida por ele. A criança não aprende a se defender por não conhecer o poder de sua própria força, POIS SÓ EXPERIMENTA A FORÇA DA MÃE, que corre o risco de interpretar isto como uma resposta do amor do filho para com ela e de como sua presença é de fato importante. É aí que mora o perigo”, explica Ramy.


Veja mais no site Daqui Dali